Vídeo: Introdução à Sociologia: Auguste Comte

Senhores,

O vídeo com o resumo sobre a sociologia de Auguste Comte já está disponível na minha página de vídeos.

 

 

 

 

 

 

 

O vídeo com o resumo sobre Émile Durkheim ainda não foi concluído. Ele será postado amanhã, junto com uma análise sobre Max Weber.

Abraços e bons estudos,

Rodolfo.

9 comments

  1. Rodolfo Gostaria de saber de quem que citou ou criou o Mito das sombras na caverna.

    E se possível mostrar ou me mandar o esquema do Individuo na sociedade que tem o Ego o Super Ego e o Idi. eu não tenho mais aquele esquema.

    Por ultimo gostaria só de reportar algo que percebi nos últimos videos. Eu, por Fanfarrice divina, não tenho mais caixas de som e escuto os videos por fones de ouvido, e percebi que o som gravado está em um formato que só é emitido pelo fone (ou caixia de som ) Esquerdo, talvez seja apenas um detalhe no formato de gravar o som, ou mesmo o único jeito que se da para gravar ( ou até mesmo o “Senhor fanfarra” também tenha queimado só o lado direito da minha placa de áudio ). Fora isso está tudo ótimo.

    obrigado pelo video e pela atenção,
    Italo Corsetti

  2. Ítalo,
    O mito da caverna é de autoria de Platão.
    O esquema do id, ego e superego eu eu mando para você por email.
    De fato, os vídeos são gravados em um canal. Só confirme para mim se o que você constatou está ocorrendo em todos os vídeos ou somente no último sobre a sociologia de Comte.
    Abraços e obrigado pela atenção,
    Rodolfo.

  3. É verdade, só fica de um lado. Eu achei que fosse meu fone e soltei ele um pouco do cabo, matando o estéreo do Fone e dá certo. Não tinha percebido que era só no vídeo. São só os 2 últimos vídeos, sobre sociologia. Não verifiquei todos, mas outros pareciam normal. Acho que colocou o balanço de um lado só nessas duas últimas produções =x

    Acho que o que ele perguntou é um autor que utiliza o mito de platão para explicar outra coisa. Mas não sei.

    O Vídeo está legal, mas eu tinha uma visão totalmente diferente do positivismo.

    Para mim o positivismo seguia esse gráfico:

    http://img684.imageshack.us/i/augustecomteerrado.png/

    As sociedades, com o tempo, tendem sempre à evolução sem regredir.

    Mas na verdade o gráfico seria esse:

    http://img214.imageshack.us/i/augustecomte.png/

    (Fiz me baseando no vídeo)

    Está correto?

  4. Tenho uma dúvida professor, não tem muito a ver com sociologia, mas é a seguinte:

    De onde vem a idéia de que o socialismo e o capitalismo não podem conviver pacificamente? Por que não poderiam se incrementar e se desenvolver um ao outro e deixar as pessoas escolherem em qual ditadura preferem estar ( A do proletário ou a burguesa ).

    Existe realmente alguma incompatibilidade ou é só uma questão de medo dos burgueses de perderem a cabeça, ou de se sentirem injustiçados após ter fiscalizados seus bens?

  5. Lucas,
    Em relação à sua análise sobre o Positivismo, duas observações:
    1. Comte não é o único autor a trabalhar o conceito de Positivismo. Ele é o pioneiro. Durkheim, por exemplo, também é considerado um positivista, mas tem concepções diferentes das de Comte (principalmente no campo conceitual). Portanto, considerar que Comte resume todo o Positivismo é um equívoco.
    2. Seus gráficos, em minha opinião, se aplicam a visão comtiana de sociologia, ou seja, que a História da humanidade é um todo e todas as sociedades evoluem para um mesmo ponto, o seja, o modelo de sociedade industrial europeia. A partir dessa concepção, o gráfico 1 seria uma evolução sem a aplicação do Positivismo, ao passo que o gráfico 2 seria o processo evolutivo com a aplicação do Positivismo. Percebe que, em ambos os gráficos, o que se nota é uma média da evolução das sociedades, expressa por uma função exponencial. Isso não se aplica a todos os autores positivistas, mas apenas a uma visão matemática sobre a concepção de Comte.
    Em relação à dúvida do Ítalo, ele perguntava sobre o autor que inventou o mito da caverna.
    Abraços e parabéns pelas observações sobre Comte.
    Rodolfo.

  6. Lucas,
    O Socialismo vê, principalmente na sua forma científica, a exploração que a burguesia aplica sobre o proletariado para a obtenção de seu lucro (mais valia) como o principal fator causador da luta de classes contemporânea. Consequentemente, para a existência de uma sociedade sem conflitos desse tipo, seria necessário subtrair o fator causador da mais valia, ou seja, a propriedade privada dos meios de produção. Ao suprimir esse tipo de propriedade privada, a burguesia deixaria de existir como classe e, consequentemente, dentro da concepção dialética, sem burguesia não haveria proletariado. Sem a classe exploradora, não haveria a classe explorada. Logo, é condição sine qua non para o Socialismo a supressão do Capitalismo. O convívio harmônico entre ambas é inconcebível dentro da teoria socialista.
    Por esse motivo, a burguesia vê no Capitalismo uma ameaça frontal à sua existência, sendo seu objetivo eliminar qualquer foco de resistência socialista.
    Abraços,

  7. Mas Comte realmente achava ter atingido o maior patamar da evolução? Soa-me estranho o fato de que alguém pense que chegamos ao ponto máximo da humanidade.

    Sobre o comunismo, ele tem de eliminar o capitalismo, mas o evento tem de ser global? Não poderíamos pensar em um país capitalista economicamente ligado à um país efetivamente comunista? Não seria isso mais positivo?

    Muito obrigado pelas respostas,
    Lucas.

  8. Lucas,
    Pode soar estranho, mas em meio a tantas transformações como as que Comte vivia, não era difícil chegar a essa conclusão. Não se esqueça, ele afirmava que o modelo ideal de sociedade para aquele momento era a Europa industrial.
    Quanto à sua segunda questão, você usou o termo positivo com qual significado? A teoria socialista não se encaixa nos moldes do Positivismo. Caso você tenha usado o termo apenas como algo melhor, eu vejo que você está apostando em um convívio pacífico entre países socialistas e capitalistas. Não sei se seria possível, principalmente dentro de um contexto de competição típico do capitalismo. Mas esse tipo de especulação não faz parte da História. O que deveria ser faz parte muito mais da Filosofia do que de qualquer outro campo do conhecimento.
    Abraços,
    Rodolfo.

  9. Desculpe-me pela derivação filosófica. Viajei um pouco.Muito obrigado pelas repostas.
    Abraços,
    Lucas

Os comentários estão desativados.