Refugiados e Terrorismo: erros comuns

DICA para prova: TERRORISMO e REFUGIADOS, erros comuns e pegadinhas.

Oi pessoal,

O recente ataque na Somália que matou mais de 300 pessoas para muitas pessoas foi uma surpresa pela sua escala. Houve toda uma movimentação nas redes sociais, troca de foto no perfil e um certo “banho de realidade” para quem acompanha sem muita atenção o tema do terrorismo.

Devido a diversos fatores que aqui vou deixar de lado, o fato é simples: a mídia internacional de onde a nossa mídia se alimenta tem seu foco nos EUA, Europa, China e alguns poucos outros países. Desse fato decorre o seguinte: o que acontece nesses locais tem uma divulgação desproporcional, levando os desatentos a conclusões erradas. O caso da Somália rompeu essa bolha momentaneamente.

Sobre TERRORISMO:

Recentemente Donald Trump declarou que o mundo islâmico precisa fazer mais pelo combate ao terrorismo. Ainda que a frase tenha diversas interpretações possíveis, ela reforça um traço: quando o ataque é na Europa/EUA ele ganha destaque, quando é em outro lugar não.

Anota aí então: que mais morre em ataques extremistas muçulmanos ou combatendo esses extremistas são outros muçulmanos.

Simples: se o EI/ISIS age majoritariamente na Síria e no Iraque, suas vítimas serão sírios e iraquianos, na sua maioria muçulmanos também. Ao mesmo tempo, os exércitos e milícias que mais matam membros do EI/ISIS são também dessas regiões. Se o Al Shabbab age na Somália, suas vítimas serão somalis, majoritariamente muçulmanos. Vale mesmo para as vítimas do Talibã (Afeganistão/Paquistão) e do Boko Haram (Nigéria) entre outros. Veja as imagens desse post.

A pegadinha: quem só se informa pela TV ou não se aprofunda fica com a falsa sensação que o maior número de vítimas está em países ocidentais. Cuidado na prova. O mapa abaixo mostra os ataques de 2017. Para o mapa interativo completo clique aqui.

Sobre REFUGIADOS:

Vale a mesma lógica. As crises que mais geram refugiados estão na Ásia (que inclui o Oriente Médio e assim lidera o ranking) e na África, em especial na sua porção subsaariana. A imensa maioria dos refugiados tem poucos recursos para se deslocar.

Uma REGRINHA pra te ajudar:
– Quer saber onde está a maioria dos refugiados de alguma crise (qualquer crise)? Nos países vizinhos ao país em crise. É simples: as pessoas fogem, cruzam a fronteira e assim que se encontram em segurança buscam se estabelecer e esperar a tempestade passar para poder voltar. Veja esse gráfico de um relatório da ONU:

– Em outras palavras: NÃO É NA EUROPA QUE ESTÁ A MAIORIA DOS REFUGIADOS, basta ver alguns números. Se até o final de 2016 a Europa (toda a Europa) já tinha recebido 1,5 milhões de refugiados, a Turquia sozinha já contava com 2,5 milhões. Pegando só o caso dos sírios, veja só:

Por fim: REFUGIADO ou IMIGRANTE?
Simples também: imigrante é qualquer pessoa que sai de sua terra natal com o objetivo de se estabelecer em outro local, por qualquer razão (casamento, mudança de emprego, busca por oportunidades melhores, fuga de uma situação ruim). Refugiado é quem é obrigado a sair de sua terra natal para não correr o risco de morrer. Ou seja: todo refugiado é um imigrante mas nem todo imigrante é refugiado.

Aqui um último gráfico, também da ONU, com os números.

Gosta do nosso trabalho?

Quer fazer uma REVISÃO ONLINE, estudando em casa?

Venha conhecer nossos cursos também, só clicar aqui. https://ead.historiaonline.com.br/ead/course/