Copa do Mundo: os torneios mais simbólicos

Oi pessoal,

O esporte é metáfora para muitas coisas e com a Copa do Mundo não é diferente. Já analisamos neste post aqui como o número de países participantes fala um pouco do período de cada campeonato. Hoje selecionamos algumas Copas para destacar.Para os brasileiros as Copas marcantes são aquelas em que vencemos: 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002. Cada país guarda suas vitórias na memória. Em termos geopolíticos há outros destaques, o esporte é um palco privilegiado para demonstrações políticas.

Para quem quiser, segue aqui novamente a tabela dos jogos.

Copas do Mundo

Copas do Mundo

 

 

1966, Copa da Inglaterra

Este campeonato é pouco comentado, mas foi bastante importante. Os anos de 1950 e 1960 são um período de forte atividade política na África, são os anos da descolonização. Livres do domínio europeu, diversos novos países começam a buscar seu s distintos rumos nacionais. São anos, porém, marcados pelo agravamento do Apartheid na África do Sul (em vigor desde 1948) e são também um momento de afirmação: a FIFA, ao organizar as Copas, costuma destinar vagas a cada continente, ou seja, definir que haverá times de cada continente no campeonato, aqueles que forem classificados nas eliminatórias, mas a África não tinha um espaço garantido, era necessário disputar com os times asiáticos este espaço. Tal medida era vista como uma forma de discriminação. Somando este fato à presença da África do Sul na FIFA (como membro capaz de disputar), diversos países africanos boicotaram a Copa de 1966. Os resultados foram interessantes: a África do Sul foi banida (voltando apenas nos anos 1990, pós-Apartheid) e na Copa de 1970 (México) já havia uma distribuição de vagas que contemplava o continente africano.

1990, Copa da Itália

Em 1990 a vitória foi Alemã e a simbologia foi imensa. O time vitorioso na prática era o time da antiga Alemanha Ocidental já que as eliminatórias se deram anos antes. Porém o título foi comemorado em uma Alemanha que, em 1989, havia acabado de derrubar o Muro de Berlim. Franz Beckenbauer, técnico em 1990 e herói da conquista de 1974 declarou, em entrevista, que esse era o primeiro título realmente alemão, um gesto de imensa sensibilidade e profundo significado.

2010, Copa da África do Sul

Vinte anos após a celebração alemã, foi a vez dos sul africanos transformarem uma Copa em um evento profundamente intenso. A África do Sul viveu sob o regime do apartheid por mais de quatro décadas e o país ainda carrega as marcas desse período. O campeonato de 201 não foi vencido pelo time da casa mas foi duplamente simbólico pois foi a primeira Copa no continente africano e foi também uma celebração do país pós-apartheid, uma espécie de festa reinauguração para os convidados de todo o mundo. A África do Sul havia sido banida da FIFA entre os jogos de 1970 e 1990 por conta do regime segregacionista, fazer uma Copa em seu território foi uma conquista.

%d blogueiros gostam disto: