Venezuela: refugiados e imigrantes

Oi pessoal, hoje falaremos do fluxo de deslocados da crise da Venezuela

Como dissemos nos posts anteriores (aqui, aqui e aqui), recentemente a ONU divulgou seu relatório chamado Global Trends, que serve de base e referência para os estudo sobre o tema e, também, para as questões de provas. Se você quiser ver o documento original, clique aqui.

Não lembra a diferença entre refugiados e imigrantes? Dá uma olhada nesse vídeo aqui.

Hoje vamos focar na crise da Venezuela

Primeiramente, é bom lembrar: quem define se aceita alguém apenas como imigrante ou também como refugiado é o país de destino. Isso porque refugiados tem direitos que os imigrantes não tem, e que muitas vezes incluem ajuda financeira.

No relatório da ONU já se fala em mais de 3 milhões de deslocados (mapa abaixo).

 

Posteriormente, a ONU divulgou um número total próximo de 4 milhões, somando já o primeiro semestre de 2019.

Neste novo número, o Brasil aparece como tendo 168 mil venezuelanos em seu território, diferente do mapa acima.

Como tudo em Atualidades, os números são apenas aproximações.

Quer saber mais da crise venezuelana?

Fizemos uma série de posts no começo do ano que podem ajudar.

Esse aqui faz um resumo da crise.

Esse outro mostra os apoio internacionais.

Este e este destacam a figura de Juan Guaidó, o principal líder opositor.

Tem também essa vídeo aula sobre América Latina com trechos interessantes para esse tema.

Já conhece nossos curso online?

Se não conhece ainda, vem dar uma olhada, tem muita coisa boa. É só clicar aqui.

Refugiados e imigrantes, maiores crises de 2018

Oi pessoal, hoje falaremos das maiores crises de refugiados e imigrantes de 2018

Como dissemos nos posts anteriores (aqui e aqui), recentemente a ONU divulgou seu relatório chamado Global Trends, que serve de base e referência para os estudo sobre o tema e, também, para as questões de provas. Se você quiser ver o documento original, clique aqui.

Não lembra a diferença entre refugiados e imigrantes? Dá uma olhada nesse vídeo aqui.

Hoje vamos ver as principais crises de 2018

Primeiramente, não confunda as crises de 2018 com as crises que mais deslocaram pessoas ao longo da história, ok?

Essa imagem abaixo trata só de 2018 e é diferente do nosso post anterior.

Interessante notar: à esquerda a origem dos deslocados, à direita seu destino.

 

Aqui aparece pela primeira vez, com destaque, a Venezuela, que será o tema do nosso próximo post.

Já conhece nossos curso online?

Se não conhece ainda, vem dar uma olhada, tem muita coisa boa. É só clicar aqui.

Refugiados e Imigrantes: números totais segundo a ONU/ACNUR

Oi pessoal, hoje falaremos de refugiados e imigrantes

Recentemente a ONU divulgou seu relatório chamado Global Trends, que serve de base e referência para os estudo sobre o tema e, também, para as questões de provas.

A ONU usa o termo “deslocados forçados” para designar as pessoas que saíram de suas regiões devido à violência ou perseguições.

Usaremos aqui alguns prints feitos a partir do relatório, mas se você quiser ver o documento original, clique aqui.

Antes de começar, você sabe a diferença entre refugiados e imigrantes? Dá uma olhada nesse vídeo aqui.

O que diz o relatório?

O relatório traz diversos números.

UNHCR é o ACNUR, o Alto Comissariados das Nações Unidas para Refugiados.

UNRWA é a United  Nations Relief  and Works Agency,que trata especificamente dos palestinos.

Como vemos, são hoje 70,8 milhões de pessoas vivendo o deslocamento forçado no mundo.

Destas, 41,3 milhões estão dentro de seus países, mas em regiões diferentes daquelas de origem, muitas vezes vivendo sem apoio ou auxílio. Em países formados por diversas etnias ou religiões, esta situação pode ser bastante ruim.

 

Que países recebem essas pessoas?

Ao contrário do que muitos imaginam, a maioria dos deslocados está em países pobres ou em desenvolvimento, apenas uma minoria de 16% chega aos países ricos. Ou seja, 84% estão em países pobres ou em desenvolvimento.

Além disso, 4 em cada 5 deslocados estão em países vizinhos à crise de onde fugiram. Está é uma regra: as pessoas fogem, cruzam a fronteira e, na maioria das vezes, param.

Nos próximos posts veremos detalhes de quais as crises que mais geraram refugiados na história, nos anos recentes, quais os países que mais recebem e também como está a situação da Venezuela nesse contexto.

Já conhece nossos cursos e revisões online?

Se não conhece ainda, vem dar uma olhada, tem muita coisa boa. É só clicar aqui.